3.1.14

Lojas Pop Up


Loja Pop Up, Pop Up Store ou Pop Up Shop, é tudo a mesma coisa. É um conceito inovador de loja que está a multiplicar-se no mundo do comércio. 

 -Mas o que é uma loja Pop Up?!
São lojas temporárias que abrem inesperadamente em lugares estratégicos e desaparecem pouco tempo depois. Um conceito curioso, porque se criam lojas de curto prazo, como lojas de arte, moda, desporto, gadgets, automóveis, comes e bebes... de tudo! Podem durar uma semana, um mês, três meses ou um período associado a uma época do ano. Têm como objectivo despertar a curiosidade no público, estimulando o seu desejo de comprar e também podem servir para testar e lançar produtos ou serviços.

Surgiram no início dos anos 90 em grandes centros urbanos, como Tóquio, Londres, Los Angeles e Nova York. No início, a ideia destas lojas era aproveitarem espaços devolutos para artistas e designers mostrarem os seus trabalhos, mas rapidamente saltou para outras áreas.



Apesar de serem espaços temporários, muitas marcas conseguem manter os seus conceitos e identidade inalterados, oferecendo os mesmos padrões de qualidade e coerência de imagem e serviço, em tudo semelhante  às lojas permanentes  da marca. Para outras tantas marcas, o objetivo das lojas Pop Up vai além das vendas e  o consumo funde-se com o entretenimento, oferecendo assim experiências únicas aos consumidores, que causam impacto e que criam fortes ligações emocionais com a marca.

Mas qual é o objetivo principal? É criar impacto mediático, vendas e fortalecer a relação com o consumidor.

O conceito original vem da cultura de consumo Japonês e a sua procura desenfreada por produtos raros e edições limitadas. Antigamente quando todos os produtos se vendiam, muitas vezes em poucas horas, as lojas fechavam até o proprietário receber mais produtos de modo a poder reabrir a loja novamente. 

O lançamento de uma loja pop-up é 80% mais barato do que uma loja tradicional
Para além dos esperados espaços de quatro paredes, as lojas Pop Up assumem muitas formas, desde quiosques, contentores, ou unidades móveis como roulottes, atrelados, etc..




Hotdog Lovers no OutJazz no Jardim da Tapada das Necessidades

Nos últimos anos, as lojas Pop Up têm proliferado por todo o país, um conceito bem trendy e urbano :) Na opinião de muitos marketeers é puro “marketing de guerrilha”. (“...marketing não convencional que pretende obter resultados máximos a partir de recursos mínimos”. - Definição oficial de America Marketing )


As primeiras lojas Pop Up que surgiram em Portugal, foram os quiosques da Reebok, estrategicamente montados nos principais shoppings de Lisboa e Porto, em 2009. E foram um sucesso :)

Outras marcas não tardaram a experimentar este conceito. 
A TMN passado um ano, para efeitos de promoção do lançamento do iPhone 4, criou quatro ‘Pop-up Stores TMN’ (duas em Lisboa e duas no Porto) abertas apenas durante um mês.



A Salsa criou a Salsa Pop-Up X-mas Store na rua Augusta em 2011 e a Renova abriu no Chiado, Porto e Cascais apenas durante a época natalícia de 2011. Estes são alguns exemplos entre muitos outros... 


Este ano a CIN apostou numa Pop Up, sob o conceito "Pinta antes de Pintar"

E quem ainda não conhece a Zilian no Chiado? Abriu em abril de 2013 com o compromisso de 3 meses... mas a “coisa” deve estar a correr bem para a Zilian, pois já passaram 9 meses!

O conceito Pop Up já quebrou algumas exigências (contratos de 3 anos ou mais, meses de caução, etc.) de alguns centros comerciais em Portugal como por exemplo o Amoreiras Shopping Center, que apostou forte e feio em lojas Pop Up em 2013.



Os benefícios de uma loja Pop Up são muitos. Permitem aos proprietários, testar novas linhas de produtos ou serviços para inclusão em lojas permanentes; já aos empreendedores, permite desenvolver as suas ideias e pô-las em prática, sem ter sobre si a pressão de um grande investimento, testando assim se eventualmente, vale a pena abrir um negócio próprio permanente.

Levado ao extremo, as Pop Up podem até constituir todo um centro comercial ,como o de Londres que abriu, no final de 2011, e é o primeiro centro comercial “Pop-Up”.


Erguido numa antiga estação ferroviária , utilizou  contentores de carga, como lojas.




Na perspetiva de um senhorio com um espaço vazio, esta poderá ser uma boa solução permitindo selecionar os inquilinos para os seus espaços comercias, testando-os e constatando se realmente conseguem trazer algo de novo, se o negócio é sustentável e atrativo e se conseguem incrementar receitas, para si, para a zona...



 As Loja Pop up, vieram para ficar :)





31.12.13

Uma montra de moda #1

As empresas ao contratarem profissionais em vitrinismo  contam que cumpramos o objectivo de promover o potencial dos seus produtos, garantindo a optimização da atratividade e rentabilidade da sua  montra.

Este é um post bem pessoal, pois vou aqui (tentar) mostrar-vos como me organizo para conceber e implementar a exposição e decoração de uma montra. 

Para esta marca em particular tenho que orientar a execução da montra de acordo com as diretrizes definidas pelo departamento de Vitrinismo. É simples e todas as informações que preciso estão na Intranet (disponível em cada loja) e é só interpretá-las.

Estes são os passos seguintes:


  • Separar os outfits para cada manequim.



  • Apontar os preços de cada artigo por manequim (e referências/tamanhos se necessário)




  • Engomar todos artigos impecavelmente. O que fica visível é essencial ;)





  • Agora sim... tapar a montra com panos adequados. Além de ser uma exigência de muitos centros comerciais, serve também para termos a nossa privacidade.





  • É altura de calçar as pantufas que a vóvó me fez... para não sujar a alcatifa! As toucas de banho que se encontram nos hotéis também são uma boa solução ;) 




  • Toca a despir membro por membro. Primeiro as mãos/braços, depois o troco e pernas/pés.





  • É mais fácil vestir umas calças, calções, collants... e calçar a manequim quando está com as pernas viradas ao contrário.  Volta-se a virar, encaixa-se o tronco e é a vez de vestir todas as partes de cima, como top, camisa, camisola, casaco... para depois se colocarem os braços e mãos. Podem-se acrescentar os acessórios como os cintos, colares, pulseiras, etc.




  • Depois de se acrescentarem todos os artigos que vão exibir os manequins, os próximos passos são muito importantes: 
  1. retirar/esconder todas as etiquetas, 
  2. ajustar anatomicamente as peças de roupa (com alfinetes). Isto porque nem todas as peças assentam corretamente na manequim.



  • Agora que as manequins estão perfiladas... toca a limpar o chão! Há sempre linhas, peças de etiquetas... que acabam por cair no chão :( 



  • Colocar os preçários correspondentes, junto da manequim.


  • Tiram-se os panos... 
  • Limpam-se os vidros por dentro...

 E voilà! 


Executar uma montra, parece fácil ou difícil? Bem, costumam dizer que parece mais fácil...


Deixo aqui o meu agradecimento à empresa envolvida neste post,  por me ter autorizado o uso das fotos. MT OBG

27.12.13

Tendências # Cor do Ano 2014

A Pantone anunciou a cor do ano de 2014: Radiant Orchid (PANTONE 18-3224)



Esmeralda, a cor do ano de 2013, serviu como símbolo de esperança, crescimento e prosperidade, Radiant Orchid, surge como um enigmático roxo, expressivo, criativo e com um charme sedutor. A harmonia cativante da mescla entre fúcsias, tons roxo e rosas, Radiant Orchid emana grande alegria, amor e saúde.



24.12.13

VM # Montras de Natal #2013

A cidade, as ruas e as montras de Lisboa vestiram-se de Natal. Tal como todos os anos, dei o meu passeio por Lisboa para admirar as montras de Natal das principais marcas de moda.



À medida que vou parando (na Av. da Liberdade, por exemplo) para tirar as fotos e me vou lembrando das montras do ano passado, noto (um pouco por culpa da crise) que as decorações de Natal foram subdimensionadas.






É notória a austeridade nas decorações natalícias. As apostas foram montras simples e elegantes, complementadas com mensagens/decoração de Natal em vinil.

Furla



Lanidor

Este ano não foi diferente...  O vermelho, o verde, o dourado e o prateado foram os tons mais usados nesta época cheia de tradições.


A opção por um elemento  decorativo grande ou vários pequenos, acompanhados por um vinil, foi a opção mais usada por muitas marcas.


  • As árvores de Natal e as renas são um dos principais elementos do período. Muitas foram as lojas que apostaram neste artifício nas mais diversas formas e cores, para a decoração da montra. Uma forma direta de passar o clima de festa.

Arquitetamus




Lourenço e Santos


El Corte Inglés

Pepe Jeans

Pepe Jeans

  • Outro elemento que é um grande símbolo da data é a grinalda. Feitas em diversos tipos de materiais como as bolas e outros penduricalhos J



Leitão e Irmão

El Corte Inglés

  • Bolas de Natal, estrelas e pacotes de presente também fizeram história em muitos espaços. Estes recursos, foram usados de formas bem criativas.
Óptica Brasil


H&M

Michael Kors







El Corte Inglés




Loja das Meias

Zara

Stradivarius



  • A iluminação tem sempre uma importante função nas montras. E neste tema em especial, as apostas recaíram nas típicas lâmpadas natalícias ou numa iluminação mais minimalista, normalmente colocadas em adereços/adornos.
Roca

Bershka